22 de mar de 2011

Amor é Liberdade!



"Amo a liberdade, por isso deixo livre tudo o que amo!" Nunca uma frase fez tanto sentido sobre o amor, sentimento tão valorizado e ao mesmo tempo incompreendido por nossa sociedade. Criamos inúmeras idéias e concepções sobre ele. Filmes, livros, músicas, histórias, tudo nos molda e nos leva a acreditar num amor irreal, que não corresponde à realidade. Isto porque todas estas concepções vinculam o amor a um outro sentimento que acaba por arruinar e corroer suas bases: o sentimento de posse!

Este sentimento nos torna amantes vigilantes, cobrando atitudes e posturas do outro. Nos torna carrascos, detetives, sempre atrás do outro, sempre fiscalizando. É um amor doentio e caduco este que vemos por aí. Isto porque com o tempo, este amor se torna rotina, e a rotina nos torna autômatos. Já não fazemos as coisas por vontade própria, mas por obrigação. Obrigação de ligar, de dar presentes, de ir no casamento da prima, de transar, de beijar. Tudo vira uma rotina sem fim, e viramos simplesmente repetidores, sem sentimento, sem vontade própria. 


O que nossa sociedade não entendeu ainda é que a base do amor é a liberdade. Ninguém é dono de ninguém. O segredo do amor é o cativar. Quando cativamos ao outro, não precisamos nos preocupar se ele voltará ou não. Se volta, é porque quer, não por obrigação. Se o outro liga, se interessa, é por pura vontade. O amor é dinâmico, mutante, não pode ser aprisionado, exigido. Esta é sua verdadeira face, deixá-lo livre é a única forma de conservá-lo.

Talvez as pessoas ainda não estejam prontas para algo assim, no entanto. Talvez seja exigir demais delas. Teríamos que mudar toda a base de nossos relacionamentos, passar a distribuir amor, não cobrar. Este amor que nos apresentam é egoísta, cada um quer apenas cobrar, exigir sua parte, ninguém quer distribuir. Amor é doação, quanto mais doamos mais teremos. Aprisionamos o amor a uma idéia de exclusividade, dizer eu te amo é como um ritual sublime que só podemos fazer depois de muito tempo. Complicamos demais algo que é tão simples. O amor pressupõe abdicação do sentimento de posse. Pressupõe abdicação de cobranças, exigências, pressupõe uma mudança de atitude, pressupõe a liberdade. Será que estamos prontos pra aprender a amar?

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...