27 de dez de 2012

Melhores discos de 2012

Este ano foi muito produtivo no ramo musical. Isto a julgar pela dificuldade que eu tive de fechar uma lista com os melhores lançamentos do ano. Ou talvez seja pela maior facilidade de acesso aos discos, já que é cada vez maior o número de bandas e cantores que lançam seus trabalhos diretamente na internet, facilitando a vida dos fãs. Pois bem, depois de muito custo e análises, consegui fechar uma lista de 15 discos que considero os melhores lançados este ano. E a lista está a mais eclética possível, com estilos os mais variados. Confira!


15º Banda UÓ - Motel
Pra começar nossa lista, uma das maiores revelações da música goiana. Após um EP que lançou a banda no mercado, o trio este ano lançou seu primeiro trabalho. O resultado é este Motel, um disco que vai além do tecnobrega, incorporando ritmos diversos, como o forró brega, a música eletrônica, entre outros. E as letras continuam afiadas e divertidas, no estilo debochado que caracteriza o grupo. 


De São Paulo vem o grupo Mão de Oito, lançando seu primeiro disco. O que podemos encontrar aqui é um som leve, com uma mistura de sons e ritmos e boas melodias. Participam do disco os rappers Emicida e Kamau e a cantora Marcela Bellas, nas melhores faixas do disco. Se não conhece o grupo, baixe o disco agora mesmo. 


Segundo álbum do cultuado cantor, agora menos melancólico e mais dançante. Uma das coisas mais legais deste disco é a mistura de letras em português e inglês numa mesma música, com frases ora numa língua ora na outra, mas tudo feito de forma muito natural pelo cantor. As melodias continuam com uma certa melancolia, mas agora com ritmo mais acelerado. Pethit pra mim é um dos maiores achados da música brasileira nos últimos anos. 


12º The Offspring - Days Go By
Primeiros gringos da lista, o Offspring fez por merecer estar nesta lista com seu rock rápido e melodioso. Sempre fui fã da banda, e a voz de Dexter Holland continua sendo o diferencial da mesma. A faixa que abre o disco, The Future is Now é uma das músicas mais legais que o grupo já fez, e já nos deixa com mais vontade de ouvir o resto do disco.  


11º Céu - Caravana Sereia Bloom
Não sei o que o nome deste disco quer dizer, mas o trabalho da cantora Céu continua impecável. Depois do excelente Vagarosa, ela consegue manter a qualidade em alta, mas agora com um cd menos melancólico e vagaroso. Ótimas canções e uma belíssima voz são os grandes destaques deste disco. 


10º Mago de Oz - Hechizos, Pócimas y Brujería
Os espanhóis malucos estão de volta. Após a saída de seu antigo vocalista, José Andrea, todos acharam que a banda teria acabado. Mas eis que eles retornam em grande estilo. Está tudo lá, músicas rápidas, flautas e violinos, letras medievais e o bom e velho folk metal. 


Mais um representante goiano na lista. Uma das maiores revelações deste ano, a banda Cambriana vem conquistando cada vez mais fãs com sua música. E eu que já pude ver a banda no palco posso dizer que o sucesso é merecido. Com um som que passeia pelo rock alternativo e lembra grupos como Radiohead e TV on the Radio, o grupo tem tudo pra despontar cada vez mais. 


O próximo grupo vem resgatar um estilo que anda um tanto esquecido no Brasil e em Goiás principalmente. Trata-se do Death Melódico, ou como alguns tem chamado, o Metalcore (nome que eu abomino). Como influências, grupos como Kilswitch Engage, In Flames, Parkway Drive, entre outros. E o grupo goiano não fica devendo em nada pra estes nomes, misturando vocais guturais e limpos nos refrões, o grupo conseguiu compor 06 canções que aliam peso e melodia, como o estilo requer. 


07º Linkin Park - Living Things
Sempre gostei das canções do Linkin Park, eles sempre conseguem boas melodias e aliam bem o hip hop dos vocais com o rock. Neste novo trabalho eles abusam mais ainda dos sintetizadores, efeitos eletrônicos e coisas do tipo nas músicas. Mas ao mesmo tempo conseguiram compor excelentes refrões e melodias. Ouça por exemplo as músicas Castle of Glass (pra mim a melhor do disco) e a balada Roads Untraveled, com um piano belíssimo e saberá porque esse disco pode ser considerado um dos melhores do ano. 


06º Serj Tankian - Harakiri
Serj Tankian é um dos caras mais originais do mundo do rock. E como se o System of a Down já não fosse prova suficiente disso, o cara ainda resolve lançar um trabalho solo que consegue botar todos do SOAD no bolso. Harakiri é, de longe, a obra-prima do cara. Ritmos quebrados, entre velozes e lentos, riffs pesados e melodiosos e o como sempre excelente trabalho vocal de Tankian tornam este disco item indispensável na prateleira de qualquer fã de rock. 


O que esperar de um álbum chamado Metal Metal? Muita curimba, samba e afrobeat, claro. Pois é isto o que encontraremos no som do grupo Metá Metá. Basta dar uma olhada rápida no nome das músicas que perceberemos isso: Exu, Oyá, Orunmilá, Logun. Se eu fosse citar algo parecido com o som da banda, seria o som do Fela Kuti. E com esta referência, a banda está mais do que bem encaminhada. Já está no roll dos meus grupos preferidos. 


04º Otto - The Moon 1111
O que dizer do som do Otto? Primeiro que ele continua frito como sempre, especialmente nos shows. Segundo que ele continua curtindo uma dor de cotovelo pela Alessandra Negrini (o que mostram as duas primeiras faixas do disco). E terceiro que o cara é foda. Seu novo disco mais uma vez vem excelente. Destaque pras músicas Exu Parade (gira de umbanda com música eletrônica e letra de axé), The Moon 1111, também com uma batucada de primeira, e Miss Apple e Zé Pilantra. 


Apesar do nome do disco, o som dos Urubus Malandros não é apenas um samba a mais. É um samba como pouco se vê hoje em dia. Com uma riqueza instrumental, utilizando violão de 07, cavaquinho, flauta, além dos tradicionais pandeiro, cuíca e demais instrumentos de percussão, e letras divertidas, o som do grupo parece nos colocar numa verdadeira roda de samba no boteco. O disco traz ainda a participação de Zeca Baleiro, numa das faixas mais divertidas do disco. Nada mal pra abrir nosso top 3.


02º Stone Sour - House of Gold e Bones Part 1
O projeto paralelo de Corey Taylor, famoso por ser o vocalista do Slipknot. Mas aqui o cara trilha um caminho, digamos, mais leve. Isto não quer dizer que o disco não seja pesado. Ele é e muito. Mas o diferencial do Stone Sour é que se trata de um stoner rock com melodias bem agressivas. Pra mim uma das melhores bandas de rock da atualidade, e que prova isso a cada disco lançado. 


E o prêmio de melhor disco do ano segundo nosso Blog vai pra BNegão e seu Seletores de Frequência. Depois de 10 anos eles lançam seu segundo álbum e vem pra arrasar. O ritmo é o funk soul regado com o trompete afiadíssimo de Pedro Selector e as letras ácidas de BNegão. Entre as faixas de destaque, Essa é pra Tocar no Baile, Bass do Tambô, e a faixa-título são pra serem ouvidas muitas e muitas vezes. 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...