27 de jul de 2013

Na dúvida, não ame


Muito se fala e se escreve sobre o amor. Mas a verdade é que pouco (ou nada) sabemos sobre ele. Podemos nos aproximar de uma pessoa, sentir afeto, carinho, desejo, interesse, vontade de estar perto, medo de perdê-la. Talvez o amor seja tudo isso junto. Mas nunca saberemos. A arte o idealiza e o coloca num pedestal, como se todos amassem da mesma forma, como se houvesse uma fórmula única para o sentir. Mas a verdade é que esta fórmula não existe. Não podemos descrever o amor a não ser pelas penas dos poetas (e de forma muito pouco objetiva).

25 de jul de 2013

O machismo nosso de cada dia


Ser mulher não é nem nunca foi fácil. Nossa geração vive um tempo de transição. Ao mesmo tempo que colhe os frutos daquelas que lutaram e se sacrificaram para tentar mudar a sociedade, ainda convive com o machismo e sexismo que impregna a muitos que se dizem "machos" por aí. A luta por igualdade entre os sexos perpassa por muitas questões e confusões, e facilmente podem ser confundidas com moralismos e afins. 

21 de jul de 2013

Um passeio pelos clássicos do Heavy Metal


Essa semana terminou pra mim com um clima de nostalgia total. Tudo porque na quinta-feira fui ao Bolshoi Pub, conceituada casa de shows de Goiânia, conferir um show especial da banda The Four Horsemen, uma das mais celebradas covers de Metallica do país. O show foi muito bom, como não podia deixar de ser, e os marmanjos balzaquianos presentes puderam reviver a adolescência ao escutar os maiores clássicos de uma das maiores bandas de metal do mundo. Voltando pra casa e remexendo nos meus CDs antigos procurando os do Metallica, comecei a ouvir novamente alguns clássicos que me fizeram arrepiar durante a adolescência.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...