25 de jan de 2013

Apostas de filmes na mostra "O Amor, a Morte e as Paixões"


Início de ano e chega a hora de mais uma mostra de cinema "O Amor, a Morte e as Paixões", sob curadoria do professor Lisandro Nogueira. Este ano a mostra bate recorde. Serão 75 filmes exibidos em 14 dias, de 01 a 14 de fevereiro, com filmes de vários países diferentes. A diversidade de temas e gêneros é uma das marcas da mostra, e promete agradar aos mais variados gostos. Em meio a tanto filme fica até difícil escolher o que assistir. Por isso preparei uma lista com algumas "apostas" de filmes que podem valer a pena assistir. Não vi nenhum dos filmes, portanto a lista é apenas um palpite de filmes que criaram uma expectativa, seja pela história, pelo diretor, pelos atores ou simplesmente por ter chamado atenção de alguma forma. A programação completa e os horários dos filmes você pode conferir no site da mostra. 



Polêmica é a palavra chave aqui. Filme que já rodou o mundo e chocou por onde passou. Proibido em muitos países, chegou a ser proibido por duas vezes no Brasil. E todos já sabem, tudo o que é proibido, acaba chamando mais atenção. O filme foi liberado para exibição no Brasil no ano passado e agora chega às telas goianas através dessa mostra. É uma boa oportunidade pra ver o que causou tanta polêmica. 



Representante do cinema nacional, esse filme chama a atenção já pelos seus protagonistas: três jovens com síndrome de Down. Os três resolvem fugir da instituição em que vivem para realizar seus sonhos: de casar, voar e ver o mar. E, claro, acabam se metendo em muitas confusões. Uma comédia do diretor Marcelo Galvão, que com protagonistas como estes, com certeza vale uma conferida. 



Sucesso de crítica, O Som ao Redor fez sucesso por onde passou. Tentando caracterizar a vida da classe média brasileira e ambientado na cidade de Recife, o filme discute questões como segurança e violência. Só pra se ter uma ideia, o filme foi premiado nos festivais de São Paulo (Melhor filme), Salvador (Melhor filme), Festival do Rio (Melhor Filme e Roteiro), Gramado (Melhor Som, Filme da Crítica, Filme do Público e Diretor), Roterdã (Prêmio da crítica FIPRESCI), Polônia (FIPRESCI), Copenhague (Melhor Filme CPH Pix), e Sérvia (Melhor Filme). Só por aí já dá pra ter uma ideia do poder deste filme.  



Uma co-produção entre Brasil, Argentina e Espanha, o filme retrata a vida de um garoto vivendo em meio a ditadura argentina no final da década de 70. Ele se vê dividido entre as obrigações familiares para sobreviver a esta ditadura e os desejos de levar uma vida normal como qualquer adolescente. Um filme que mostra dramas comuns em meio ao peso político do contexto.



No gênero deste filme está "drama, histórico". E pelo trailer dá pra perceber bem isto. Mas o que mais chamou a atenção no trailer foram as imagens, que parecem belíssimas. Sua história parte de um quadro medieval, "A Procissão para o Calvário", de Pieter Bruegel, pintado em 1564, que mostra a Paixão de Cristo retratada durante a ocupação espanhola na região de Flandres (atual Holanda). A partir das cenas do quadro, o filme recria a sociedade desta época através de suas imagens.



Filme dinamarquês que discute os limites de uma acusação de pedofilia. Após ser acusado por uma criança de 05 anos da creche onde trabalha, o professor Lucas passa a ver sua vida de cabeça pra baixo ao sofrer com as hostilidades da comunidade onde vive, acreditando ser ele um monstro. O desafio agora passa a ser a busca para provar sua inocência. 



A vida de um professor de literatura volta a lhe dar alegrias quando ele descobre um talento nato para as letras entre um de seus jovens alunos. Empolgado pelo talento do rapaz e a história cada vez mais envolvente criada por ele, o professor passa a incentivá-lo cada vez mais e mais a desenvolver esta trama. O que ele não sabe é que na verdade a história narrada pelo garoto não é uma ficção, mas algo que ele está vivendo de verdade. E a qualquer momento as coisas podem sair de seu controle. 



Os conflitos entre árabes e palestinos nunca saíram dos noticiários. O ódio entre os dois povos, que não parece ter fim, transcende os limites políticos e parece dominar grande parte da população civil. Mas o que torna o outro lado tão odiável? Isto é o que uma jovem judia tentará descobrir através deste filme, ao jogar uma garrafa com uma mensagem no mar de Gaza afim de tentar se comunicar com um jovem palestino. Logo ambos começam uma bonita amizade que os ajudará a suportar os horrores desta guerra sem fim.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...