11 de fev de 2012

O Retorno dos Jedi


Não cresci assistindo Star Wars, apesar de ser da minha época. Portanto não fui um idólatra da série como a maioria da geração que nasceu nos anos 80. Mas soube reconhecer seu valor depois de grande. Fui conhecer realmente a série no lançamento dos novos episódios. Vi os três novos episódios no cinema e desde então passei a pesquisar tudo o que se relacionasse com a série. Como não poderia deixar de ser, a história dos Jedis e sua luta política me fascinou, e passei a me considerar então um maníaco por Star Wars.

Recentemente revi a série toda como acho que deve ser, na ordem em que foram feitos. Para quem não sabe, o primeiro episódio de Star Wars, lançado em 1977, é na verdade apenas o quarto episódio da história, em ordem cronológica. Foi seguido por dois filmes, que receberam os subtítulos de "O Império Contra-Ataca" e "O Retorno dos Jedi". Assim, George Lucas gravou primeiro os episódios 04, 05 e 06 da saga, que é a trilogia clássica que nós conhecemos.

Nestes episódios, a galáxia está dominada por um sangrento imperador, o Lord Darth Vader (James Earl Jones), que tenta esmagar todos os rebeldes que ousam se opor ao seu domínio. Construindo uma arma que promete aniquilar totalmente planetas inteiros, a Estrela da Morte, Vader pretende com ela por um fim à guerra com os rebeldes. Mas uma nova esperança surge quando o jovem Luke Skywalker (Mark Hamill) se encontra com o velho Ben Kenobi (Alec Guinness), um ancião que vive isolado nas montanhas. O velho Ben fala a Luke de uma antiga religião que ensinava aos jovens como lidar com a Força, uma espécie de força cósmica que existe dentro de alguns seres e lhes dão poderes especiais. Aliado à princesa Léia (Carrie Ficher) e ao contrabandista Han Solo (papel clássico de Harrison Ford), Luke nos filmes seguintes lutará contra o Império e fará importantes descobertas, como a de que Vader na verdade é seu pai, e que a princesa Léia é sua irmã.



Somente no final dos anos 90 foram gravados os primeiros episódios da história. Isto é interessante pois nos dá uma perspectiva interessante de tudo. Ao invés de conhecermos ela desde seu início, na verdade primeiro conhecemos seu desfecho, para depois descobrirmos seu início. Nos três primeiros episódios da nova série, intitulados respectivamente "A Ameaça Fantasma", "A Guerra dos Clones" e "A Vingança dos Sith", conhecemos a história de Anakin Skywalker (Jake Lloyd quando criança, Hayden Christenssen quando adulto), um jovem Jedi com poderes superiores e que viria a se tornar no futuro, o temido Darth Vader. 


Anakin sempre foi um Jedi diferente. Acostumados a abrir mão de suas vidas em nome da obediência à ordem Jedi, desde o início Anakin mostrou dificuldades em abrir mão daqueles que amava, além de ser extremamente passional e egocêntrico. Tais características serão fatais no destino do jovem Ani, e farão com que ele busque mais poder para salvar aqueles que ama no lado negro da força, tornando-se assim um dos mais poderosos Lordes Siths que já existiu, exercendo seu poder junto ao imperador da galáxia. 


Outro ponto de destaque de Star Wars é sua conotação política. O enredo em que nosso personagens estão inseridos nos mostra como a política pode ser difícil, mesmo numa democracia assumida. A República é o modelo de governo vigente, e os planetas são administrados por um senado, com membros de vários planetas diferentes. Juntos eles tomam as decisões que acham necessárias para manter a paz na galáxia. São auxiliados pelo conselho Jedi, que serve ao senado mas tem certa independência. Quando um grupo de separatistas, liderados por um lorde Sith, começa a ganhar força entre vários planetas, uma guerra se torna inevitável. Assim, os exércitos de dróides (robôs) dos separatistas serão confrontados por um exército de clones (seres humanos clonados produzidos e condicionados para servir e lutar) a serviço da república. 



A fim de explorar mais o contexto destas guerras, conhecidas como guerras clônicas, George Lucas produziu recentemente uma série de animação que se passa exatamente durante tais guerras. Com duas temporadas, nela podemos conhecer melhor detalhes da ordem Jedi, dos clones e de vários aspectos da República. É interessante conhecermos outros guerreiros Jedi, não só aqueles mostrados nos filmes, mas vários outros cavaleiros Jedi, de várias espécies diferentes. Alguns episódios mostram o dilema dos clones e sua situação, nascidos para obedecer, mas nem sempre todos se submeteram a isto de forma fácil, alguns preferiram escolher sua própria vida e alguns até se renderam ao inimigo. 



Nestes episódios também as características, digamos, controversas de Anakin são exploradas, agora em sua relação com uma jovem aprendiz que é colocada sob seus cuidados. Ahsoka Tano, sua jovem Padawan (que é como chamam os aprendizes), é uma jovem inteligente e rebelde, assim como seu mestre, e juntos os dois resolvem muitas batalhas (e se metem em muitas confusões também), e vemos assim a evolução do caráter de Anakin que culminaram na sua transformação no terceiro episódio desta nova saga, o filme mais sombrio e perturbador de todos. 



Cego pela possibilidade de salvar da morte sua amada Padmé (Natalie Portman), grávida dele e que segundo as visões de Ani, iria morrer no parto, Anakin se volta contra todos, contra a república, contra o conselho Jedi e até mesmo contra seu antigo mestre, Obi-Wan Kenobi (Ewan McGregor), para buscar no lado negro da força um meio de salvá-la. Ambos terão uma batalha final digna da série, em que Anakin terá suas pernas e braços cortados, e metade do corpo queimado, obrigando-o a usar a roupa especial que marcou a antiga série como um dos vilões mais cultuados de todos os tempos.

No final, Star Wars é a história de Anakin Skywalker, desde seu nascimento, sua transformação em Darth Vader, até sua morte para salvar seu filho, cumprindo assim a profecia que dizia ser ele o responsável por trazer equilíbrio à força acabando com o lado negro. Só não seria do modo como os Jedi haviam previsto. A história de Anakin e dos Jedis nos deixa algumas lições. A de que o apego em excesso pode nos levar a tomar caminhos que nem sempre são os mais corretos. Devemos nos apegar, mas também saber a hora de seguir em frente. Sabedoria para saber a hora certa não é fácil, mas com paciência sempre poderemos alcançar nossos objetivos. Esta é a maior lição que os Jedis nos deixam, mas que o jovem Anakin se recusou a aprender. 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...