20 de fev de 2012

Mídia a Serviço do Poder


É inegável o poder que a mídia exerce sobre a população nos dias de hoje. Refiro-me aos veículos da grande massa, em especial as emissoras de TV aberta, revistas informativas e jornais. Com uma super estrutura, estes veículos conseguem atingir boa parte de nossa população, que absorve tudo o que é transmitido. Devido à falta de censo crítico deste grande mercado consumidor, a mídia acaba se tornando uma forma de manipulação da opinião pública, transmitindo as ideologias dos grupos dominantes de nosso país.


Isto pode ser percebido na forma com que a grande mídia aborda os diversos problemas sociais, não só no Brasil como no mundo todo. Tomemos como primeiro exemplo os movimentos sociais no Brasil, em especial o Movimento dos Sem-Terra (MST). Na agricultura brasileira ainda prevalece o sistema colonial, que é o de grandes propriedades destinadas à exportação. A terra está concentrada nas mãos de poucos, e com a inserção de novas tecnologias no campo, hoje temos milhares de trabalhadores que foram dispensados vivendo nos grandes centros urbanos, aumentando cada vez mais o número de marginalizados sociais. 



É neste contexto que surge o MST, com o objetivo de lutar pela reforma agrária, ou seja, pela redistribuição das terras para que todos tenham o direito de trabalhar nela. Mesmo sendo um movimento que luta por justiça social, grande parte de nossa população tem uma visão negativa dos Sem-Terra, por conta da imagem que lhes é passada pela grande mídia. Criminalizados e classificados como baderneiros, invasores e assassinos até, os Sem-Terra são sempre mostrados como uma ameaça à população, uma ameaça à segurança pública. Nossa sociedade, neste aspecto, se mostra contrária às revoluções sociais, e prefere ficar ao lado de quem está no poder e contra os trabalhadores.


No contexto internacional percebemos a ação da mídia quando ela trata da questão da guerra contra o terrorismo. Se você reparar bem, verá que a mídia encara de modos bem diferentes os ataques que os norte-americanos fazem dos que eles sofrem. O ataque às torres gêmeas do World Trade Center foi classificado como um ato terrorista, uma barbárie injustificável, enquanto que a ofensiva norte-americana no Afeganistão foi uma forma de se fazer justiça. Perceba o vocabulário usado em cada um dos casos, desde o "ataque" aos Estados Unidos até a "ofensiva" norte-americana. Estes são termos usados pela própria mídia, que denunciam claramente de que lado eles estão. 


A mídia atribui os motivos dos ataques ao fanatismo religioso islâmico, e acaba por encobrir os verdadeiros motivos que geram todo este ódio aos Estados Unidos e levam estes islâmicos à se sacrificarem nestes ataques suicidas. Este motivo poderia ser resumido em uma única palavra: Imperialismo, mais conhecido hoje em dia como Globalização. É este imperialismo que financiou terroristas no oriente médio para atacar a ex União Soviética, estes mesmos terroristas que atacam os Estados Unidos hoje; este imperialismo que domina e explora as economias e políticas dos países mais pobres; e este mesmo imperialismo que quer tirar a soberania dos países latino-americanos agora impondo tratados que garantam a América Latina como curral comercial dos norte-americanos. Afinal de contas, o que é terrorismo e o que não é?



Com a força que tem, o papel da mídia não deve se resumir ao de informar, como também cabe a ela o papel de ajudar na educação e conscientização de nosso povo. Mas o que ela faz é justamente o contrário. A mídia aliena nossa população, ela espalha a política da conformidade, da aceitação, e no fim das contas, acaba ajudando aos burocratas que estão no poder a manter este poder e a manejarem toda a massa que compõe nosso grande país.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...