15 de jan de 2011

O melhor filme de todos os tempos!


Quem convive ou pelo menos lê um pouco sobre o mundo do cinema já deve ter ouvido várias vezes alguém se referir a Cidadão Kane como o "melhor filme de todos os tempos". Este fato sempre me intrigou. Como pode, pensava eu, alguém poder afirmar com toda a certeza que tal filme é o melhor de todos? E o mais intrigante é que não é uma ou duas pessoas apenas, mas toda uma geração de críticos que afirmam isto com toda certeza.

Portanto, resolvi elucidar este mistério da maneira mais fácil e prazeirosa possível: assistindo ao mesmo. Durante as duas horas em que estive diante da TV, procurei me atentar a todos os detalhes e fatos que podem fazer a diferença num filme, não só os mais superficiais, como os atores e a história, mas todos os pequenos detalhes, como o enquadramento da câmera, as luzes, e etc. E eis tudo o que consegui observar em Cidadão Kane:


Primeiramente, uma fotografia belíssima. Cidadão Kane é um filme em preto e branco, algo que não o desmecere em nada, pelo contrário. Sua textura é impressionante, um preto e branco suave e ao mesmo tempo radiante. A luz contribui muito neste caso. O diretor Orson Welles consegue trabalhar e jogar com a luminosidade de uma maneira esplêndida, fazendo com que o filme seja bonito de se ver. Completa tudo isto o enquadramento e os giros de câmera. Em cada cena, Welles nos brinda com uma inovação, como na clássica cena em que Kane morre, o close na enfermeira através do vidro do pequeno brinquedo caido no chão é genial.

Na parte textual, temos um roteiro digno de oscar (tanto que levou a estatueta), uma história bem construida e uma narrativa não-linear, cheia de flashbacks, que torna o filme mais instigante ainda para quem assiste. O mistério de Rosebud é o que conduz a trama, e à medida que o repórter Thompson pesquisa seu significado, vamos adentrando cada vez mais no universo de Kane, um personagem absolutamente fantástico, cativante e odiável ao mesmo tempo, como todos os grandes homens, creio eu. O filme acaba se tornando assim um grande quebra-cabeças, onde, através do depoimento daqueles que conviveram com Kane, Thompson pode ir reconstruindo a vida deste homem excêntrico, ambicioso, às vezes cruel, mas que encerrava em si todas as qualidades do sonho americano: sucesso e poder. Além disto, a interpretação do próprio Orson Welles ajuda e muito na construção do personagem. Na época o filme causou um furor pelas similitudes entre Charles Foster Kane e o grande figurão da imprensa na época William Randolph Hearst:

O óbvio paralelo de Kane (e seu Inquirer) com Hearst (e seu Examiner) gerou controvérsias e pressões para impedir a  montagem e exibição do filme. As similaridades são muitas: Kane construiu um palácio extravagante na Flórida, Hearst tinha um em San Simeon; o personagem teve um caso com uma cantora sem talento, Susan Alexander (Dorothy Comingore), lembrando o que Hearst teve com a jovem atriz Marion Davies. Enquanto o magnata da vida real comprou o estúdio Cosmopolitan Pictures para promover o estrelato de Davies, Kane comprou (construiu) para Susan um teatro. Entretanto, enquanto Hearst nasceu rico, Kane era filho de uma família humilde. (Retirado de WebCine)

A caracterização dos atores também é magnífica, nunca havia visto uma caracterização de personagens velhos, interrpetados por jovens atores de forma tão perfeita, parece até que são outros atores. Além disto, 

o filme faz uso de flashbacks, sombras, tem longas seqüênciãs sem cortes, mostra tomadas de baixo para cima, distorce imagens para aumentar a carga dramática; a iluminação é pouco convencional, o foco transita do primeiro plano para o background, os diálogos são sobrepostos e os closes usados com contenção. Revolucionário. (Retirado de WebCine)


Estes foram apenas alguns detalhes que consegui pegar do filme. E, se antes eu ficava imaginando como seria o "melhor filme de todos os tempos", o que ele deveria ter para conseguir este rótulo, após assistir Cidadão Kane, acho que entendi isto perfeitamente. Posso até não considerá-lo o melhor de todos, já que não sou muito fã de filmes antigos. Mas entendo perfeitamente o porquê do título, afinal de contas, por tudo isto que aqui citei, Cidadão Kane não é um filme comum. Ele tem sim algo de especial e de mágico, e Orson Welles tem muitos méritos em conseguir criar esta obra-prima do cinema moderno. Não acho o melhor filme de todos os tempos, mas acho que o título está em muito boas mãos.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...