10 de nov de 2010

A L I E N

Pode-se dizer sem sombra de dúvidas que a série Alien faz parte da história do cinema de ficção científica. Lançado em uma época fértil para o cinema do gênero, ou seja, final da década de 70 e início de 80, o primeiro Alien pode ser incluido juntamente com outros títulos, como 2001 - Uma Odisséia no Espaço (1968), O Planeta dos Macacos (1968), THX 1138 (1970), Guerra nas Estrelas (1977), no roll dos maiores clássicos sci-fi da história do cinema. Além disto, foi um dos pioneiros a unir ficção científica com terror, apresentando uma visão pessimista dos seres alienígenas como monstros parasitas.


No primeiro filme, que recebeu o título em português de Alien - O 8º Passageiro, lançado em 1979, um grupo de astronautas se depara com um estranho sinal em um planeta desconhecido. Ao verificarem do que se trata, encontram uma nave aparentemente desabitada. Em seu interior, inúmeros objetos que parecem ovos são encontrados, e um dos astronautas é atacado por uma estranha criatura saida de dentro de um deles. Logo descobrem que a tal criatura é um parasita que utiliza outros seres como casulo para se desenvolverem. Com efeitos especiais inovadores para a época, o filme logo conquista uma legião de fãs. A atriz Sigourney Weaver também se tornaria um símbolo da saga Alien, tendo sua imagem para sempre veiculada aos monstrengos como a Tenente Elen Ripley. Sua sobrevivência porém se vê ameaçada pelos interesses comerciais das indústrias Weyland, empresas que controlam as navegações espaciais mundiais. Após descobrirem a existência das criaturas, um andróide presente tenta a todo custo levar a criatura de volta viva, mesmo que isto custe a morte de toda a tripulação. Assim Ripley terá que travar uma batalha não só contra o Alien, mas contra o andróide que quer defender a vida desta criatura assassina.

Quase dez anos depois, o filme Aliens - O Resgate, de 1986, levava novamente às telonas o personagem Alien. Agora com mais ação, o filme traz novamente a Ten. Ripley no papel principal. Depois de vagar por vários anos pelo espaço, após escapar do desastre com a nave espacial que encontrou os primeiros sinais dos Aliens, Ripley é resgatada pelas empresas Weyland. Os chefes da empresa não acreditam na história de Ripley, de que uma estranha criatura do espaço teria dizimado sua tripulação, e por isto ela haveria destruido a nave. Mas quando a empresa perde o contato com a colônia existente no mesmo planeta em que o Alien havia aparecido pela primeira vez, Ripley e um grupo de fuzileiros são mandados para averiguar o que houve, e ela se depara novamente com a criatura, se transformando em uma verdadeira guerra pela sobrevivência. Mas novamente os interesses comerciais em capturar o Alien fala mais alto, e coloca todos os esforços dos fuzileiros em risco.

Entramos na década de 90, e em 1992 o filme Alien 3 consolida a saga como uma trilogia. A Ten. Ripley novamente é resgatada do espaço, mas agora vai parar num planeta-prisão de segurança máxima, cheio de homens e totalmente isolado da civilização, ou seja, sem armas nem tecnologia. Quando os homens começam a morrer, Ripley percebe que terá que enfrentar novamente o Alien, e tenta convencer os homens a combatê-lo. Muitos consideram este o mais fraco da série, e eu concordo. Isto porque ele não consegue criar o suspense do primeiro filme, nem mostrar a ação do segundo. Mas aqui é criada a conexão mais forte entre a Ten. Ripley e as criaturas, quando ela é escolhida e utilizada para gerar uma rainha. Isto porque os Aliens são como abelhas. Uma única rainha bota todos os ovos onde serão gerados os outros Aliens. Uma característica deste filme é que aqui as criaturas tem mais a forma humana do que nos outros filmes. Eles são mais altos, esguios, e os efeitos especiais perdem um pouco a vez. Mesmo assim o filme encerra um ciclo da série Alien com a morte da Ten. Ripley, levando consigo a rainha que habitava em seu peito, para que ela não caisse nas mãos das indústrias Weyland.

Mas seus esforços foram em vão, como veremos no próximo filme da série, quando finalmente o Alien consegue se transformar em cobaia nas mãos dos grandes interesses comerciais. Isto acontece alguns anos depois, em 1997, quando é lançado o quarto filme da série, intitulado Alien - A Ressureição. Na história, um grupo de cientistas da nova empresa mundial que substituiu a extinta Weyland, a USM, Sistemas Mundiais Unidos (qualquer semelhança com USA não é mera coincidência) criam um clone da Ten. Ripley para retirar de seu interior a rainha dos Aliens, e assim conseguirem criar as criaturas em cativeiro. Mas com este processo de clonagem, Ripley não será mais a mesma. Sua ligação com as criaturas alienígenas agora são mais fortes do que todos poderiam imaginar. Seus DNAS se confundem, e Ripley agora não é mais humana apenas. Com sua força, sensibilidade e intuição aumentadas, Ripley liderará um grupo de rebeldes para travar seu último combate contra os Aliens quando sua produção foge do controle e eles acabam escapando do cativeiro.

A ligação entre Ripley e a Rainha cria uma estranha mutação em ambas. Ao mesmo tempo em que Ripley adquire características alienígenas, a Rainha dos Aliens também ganha uma nova capacidade humana: a gestação. Assim, agora ao invés de colocar ovos, a rainha consegue gerar uma criatura em seu ventre. Um novo ser nasce desta mistura, um Alien com características quase humanas. Este novo ser reconhece em Ripley sua mãe, mas ele ainda possue a agressividade e instinto alienígenas. O novo ser híbrido não pertence a nenhum dos mundos que o criou. Ele não é nem humano nem alienígena, mas sim um ser híbrido, resultado da mistura, um ser sem lugar, e ele descobre isto da pior maneira possível. Sua morte é tão dolorosa que até nos faz simpatizar com ele, com seu sofrimento e sua dor. A cena é trágica e dramática ao mesmo tempo, uma das melhores cenas de todas as séries.

Uma importante característica desta série é que, apesar de ter tido quatro diferentes diretores, todos conseguiram manter o mesmo padrão estético em seus filmes. Aliás, a série Alien é uma verdadeira escola de grandes diretores. Iniciando com Ridley Scott, depois passando por James Cameron e no terceiro consagrando David Fincher. Todos conseguiram ótimos resultados em seus trabalhos, fazendo com que a estética sombria, os lugares estranhos, o padrão de tecnologia utilizado em cada filme fosse o mesmo, mantendo assim a conexão entre um filme e outro. Além disto, o fato de cada filme começar exatamente onde o anterior começou também ajudou bastante.

Em 2004 os Alien voltaram à telonas, agora para enfrentar uma outra criatura do espaço: O Predador. O filme Alien Vs Predador não faz parte da continuidade da série Alien, pois apresenta uma outra realidade, como se as histórias se passassem em dimensões diferentes, e não se cruzassem. Isto porque a série Alien se passa num futuro longinquo, quando o homem ja teria conquistado o espaço, teria colônias em vários outros planetas e coisas do tipo. Já neste novo filme, a história se volta para a Terra nos dias atuais. O filme é bom, tem uma boa história e ótimos efeitos especiais. Aqui o Alien ganha uma nova roupagem, mais arrojada, e o pega com os predadores garante boa diversão. Tanto é que os caras já estão providenciando uma continuação para a saga. Mas o que todos nós gostaríamos de ver mesmo era Sigourney Weaver de novo combatendo estas criaturas, em um novo filme da série Alien. Com os efeitos especiais de hoje, seria uma continuação e tanto. Esperemos que os caras percebam o potencial da saga Alien e façam logo uma continuação para todos os fãs da série como eu. Enquanto isto não acontece, o jeito é ir se divertindo com o combate entre Alien e Predador.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...