4 de out de 2009

Turistas Tapados


Este é mais um campeão de idiotice proporcionado pela indústria hollywoodiana. Trata-se de Turistas - Go Home, filme que causou muita polêmica na mídia nacional e internacional. Vários spams percorreram a internet propondo boicotes ao filme, e a EMBRAER na época anunciou que iria monitorar o lançamento do filme no Brasil, e até mesmo intensificar a veiculação de propagandas que recuperassem a imagem do turismo no país, prevendo qualquer abalo que ela pudesse sofrer junto à imagem internacional.


O filme mostra a história de um grupo de turistas estrangeiros que vem ao Brasil, e aqui sofrem um golpe, são roubados e sequestrados por traficantes de órgãos. Por tudo isto, Turistas é um filme que deve ser levado em conta. Ao contrário do que dizem, não se trata apenas de um filme, e não deve ser ignorado. Mas também não devemos levá-lo tanto a sério. Os mais conformados dizem que ele é apenas reflexo de uma realidade existente no país. Os mais revoltados dizem que ele exagera e inventa coisas sobre nosso país. Vejamos alguns aspectos destas questões, portanto.

Primeiramente, é verdade que ele é baseado em fatos que realmente acontecem em nosso país (embora eu desconfie do tráfico de órgãos). Mesmo assim, tráfico de drogas, crime organizado , roubo e sequestro de turistas estão nos jornais todos os dias, e nós como brasileiros sabemos muito bem disto. O grande problema é o modo como estes problemas são tratados na tela. Uma coisa é mostrar a realidade, ou seja, fazer um filme complexo, que não aborde apenas uma versão dos fatos (coisa que hollywood raramente faz.) Outra coisa é eleger um estereótipo e fazer um filme para reforçá-lo (coisa que hollywood é mestre em fazer).

Muitos filmes já trataram de problemas de vários lugares do mundo de forma realista, sem apelação nem terorrismo, como são os casos de Coisas Belas e Sujas (sobre tráfico de órgãos na Europa), Crash - No Limite (violência e discriminação racial nos EUA), Hotel Ruanda (Conflitos étnicos na África), Cidade de Deus (violência e tráfico de drogas no Brasil). Estes são filmes que não vitimizam seus personagens, mas os apresentam como humanos, mostram seus próprios problemas, sua realidade. Até mesmo os filmes nacionais, ao abordarem estes problemas brasileiros, o fazem de forma diferente. Filmes como Cidade de Deus, Carandiru, O Homem do Ano, Cidade Baixa, O Homem que Copiava, O Maior Amor do Mundo, entre outros, tratam dos problemas brasileiros com mais realismo, sem vitimizar seus personagens, sem apelar para sensacionalismos e terrorismo.

Mas este Turistas faz parte de uma outra gama de filmes que os EUA adoram fazer. São aqueles que mostram os problemas de outros povos como vilões. Casos clássicos são Rambo (vietcongues), Lágrimas do Sol (Grupos Africanos, embora este seja melhorzinho), todos do 007 (Antigamente eram os Russos, agora são os terroristas Árabes e outros). Estes são filmes que mostram a visão estereotipada que os EUA tem de outros países, e mostram o problema de forma unilateral, como vilão. Este é o caso também deste Turistas Go Home, que até no título parece ter uma mensagem disfarçada: "Turistas, vão pra casa!" No slogan ela fica mais clara: "Há lugares que turistas nunca deveriam ir" O alerta implícito no filme é bastante claro: "Não vá ao Brasil, pois isto pode acontecer com você". Seu objetivo é muito claro: denunciar o que" realmente" acontece em nosso país, e alertar aos turistas sobre estas coisas. Elegem um problema, e mostram somente ele, de forma unilateral, sem maiores discussões.

Uma prova disto é o site criado para alavancar o marketing do filme: paradisebrazil.com. O site é ainda pior que o filme, pois traz "reportagens" sobre a violência no rio, e faz alusões do tipo: "Tenha férias perigosas e viva para contar sobre isso", ou "Guia Paraíso Brasil - Leia a verdade". Isto já não é mais apenas mostrar o que acontece, já se trata de fazer terrorismo mesmo com os fatos, aumentá-los e tentar fazer as pessoas crerem que o filme tem muito mais realidade do que supõe-se. Ou seja, pra mim, estão querendo mesmo detonar com o Brasil.

Na internet a polêmica ganhou muitos capítulos. As posições se dividiam entre os mais revoltados e os mais conformados. Em entrevista ao site G1, a atriz brasileira que participa do filme, Andréia Leal disse que, ao contrário da repercussão negativa que o filme anda tendo, ela acha que ele pode "ajudar a melhorar a imagem do Brasil lá fora" (!). O próprio site G1 publicou a repercussão negativa que o filme teve entre os proprios críticos estadunidenses, mostrando que nem todos por lá concordam com a mensagem do filme. No site do próprio filme haviam diversas mensagens de brasileiros se dizendo indignados com o filme, e defendendo o país como um lugar onde não reina só a violência. O charges.com.br fez uma tira ridicularizando o filme, que mostra o outro lado, dos turistas que vão para os EUA e como são tratados. E nos fóruns, bate papos e orkut o assunto também dividiu opiniões.

Não concordo com o filme, nem com a forma como aborda o assunto, mas também não acho que boicotes, manifestos e coisas do tipo adiantam algo. Mesmo porque, o filme é de péssima qualidade, tem um enredo pobre, personagens ridículos e cenas que não conseguem dar medo nem ao mais assustado pirralho. O tempo mostrou que este seria um filme fadado ao esquecimento, e que só mostrou o quanto alguns estadunidenses são idiotas. Lembremos que é um filme feito por estadunidenses para estadunidenses.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...